quinta-feira, 19 de outubro de 2017

Cartas de fora para dentro - carta 2



Quando pequena achava que só se nascia uma vez, mas quando cresci descobri que temos muitas vidas em uma. Que é preciso subtrair o peso de tempos em tempos, deixar cair sobre terra os sonhos tão bonitos de outrora, mas que já não fazem sentido porque já somos outro. São muitos partos,descontinuidade, aprendizado, abrigo, loucura, verdade. Escolhas que agregam renúncias. Renúncias que deixam vazio. Vazios que são preenchidos do novo, de novo e de novo. Recomeço que não cessa, vida plural, que tem parto sem avisar, nos transforma a todo momento, trazendo inovação, mudança de sentimento. E mesmo sem entender, os processos se dão, expandindo nosso caminhar. Refletindo em nossa vida as mudanças que chegam sem avisar.
E de repente se percebe que a vontade de ir, era só fuga, e que ficar é a real liberdade. Permanecer começou a ser o verdadeiro resgate.
A fuga já não é necessária, porque os pensamentos são outros, porque toda a reviravolta trouxe renascimento, novas escolhas, novos momentos.
Algo novo está para nascer, me sinto em meio a um novo parto. Renovando sonhos, limpando a poeira de velhas crenças. Deixando as asas mais coloridas e leves. Seguindo o ritmo das batidas do coração, preparando nova conexão.
Meire Oliveira

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Cartas de fora para dentro - carta 2

Quando pequena achava que só se nascia uma vez, mas quando cresci descobri que temos muitas vidas em uma. Que é preciso subtrair o p...