quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013

No ritmo





Eu estava cantando, mas de repente parei o canto porque algo me assombrou e me fez parar. A vida tem dessas surpresas, no meio de uma canção ela pede pausa, muda o ritmo e a gente que se arranje com as palpitações seguintes. A gente que arrume um novo instrumento pra tocar seja ele grande ou pequeno, o importante é que saibamos afinar. A vida me pediu para respirar, eu fui e joguei fora os nós que por mero acaso deixei que me sufocassem. Não havia mais a música, havia o som dos meus gritos assustados, porém necessários. Mudei o disco, renovei toda a trilha sonora. Fiz novos versos e poesia, porque o cenário que me acompanha todos os dias tem que ter a minha cara, tem que ter cores escuras e também claras, mas sempre VIVAS. Tudo e todos que me acrescentem eu quero que me rodeiem, mas nada nem ninguém que tente me sabotar, que queira me mudar. Não sei ser pouco, não sei nadar na superfície. Sou profunda, sou serena, sou intensa calmaria. Todas em uma, repleta de garra e graça. Eu pinto a minha rotina e me delicio saboreando as clássicas e as novas músicas que vou tocar.


Meire Oliveira



segunda-feira, 11 de fevereiro de 2013

O céu é o limite






No balanço das horas, no dançar do tic-tac, deixo fluir meus passos. Tomo cuidado para não me deixar enroscar em nuvens que me desviem do meu verdadeiro caminho. Tô vivendo banhada de esperança de que meus desejos serão realizados. Nem antes, nem depois, mas na hora certa. E eu estarei lá de braços e janelas abertas para ir de encontro ao meu destino, que é raro, que é só meu e por isso todos os dias acrescento traços a esses sonhos. Quem acredita já alcançou, pois carrego nas mãos o poder de a cada segundo mudar o rumo da minha vida, carrego nas mãos o leme que me leva do ponto de chegada ao de partida, tendo sempre entre um ponto e outro muitos recomeços. Mas não carrego mais tanto medo de viver, me entrego de alma lavada, e juntas eu e a vida, somos uma, somos una. 
E eu tenho um palpite de que ainda brotará mais asas repletas de plenitude e graça, porque a vida apesar dos momentos tristes, insiste e persiste, e pra mim o céu é o limite.


Meire Oliveira



Experienciar para poder conectar

É preciso sentir, é preciso pulsar. É preciso viver, experienciar. A vida implora a necessidade do mergulho em cada processo. Por...