quarta-feira, 14 de novembro de 2012

Clar(a)idade






A cada passo que dou sinto nascer em mim um novo amanhecer. Algo que não me veio com a idade, mas com a clar(a)idade, recitada nos versos, lapidada nos passos. 
Aprendo a observar com mais clareza os sentimentos que pulsam em mim; os que me acalmam e os que me abalam. Coloco na balança os benefícios e malefícios que cada atitude ou palavra me causa e decido o que eu realmente quero que faça parte da minha história.

A cada passo junto pedaços que ficaram pelo caminho, pedaços um dia doloridos, mas que deixaram crescimento pintado em cada linha, em cada lágrima. E de cada tropeço, surge sempre um recomeço.
O despertar vai além das palavras, dos sentires, dos tempos, dos mundos e dos ventos. Ele vem como uma flor a desabrochar as pétalas de mim. Deixo pedaços da minha essência em tudo o que eu consigo atingir a alma.

Não acredito que a vida seja um campo de batalha para lutarmos com adversários. Sou a única adversária de mim mesma e tudo o que enxergo é um reflexo do que eu sinto, falo e vibro. Nem sempre sou bela, nem sempre doce. Umas vezes sou calma na alma, outras vezes tenho a braveza de uma leoa.
Carrego um gosto imenso de estar perto do que faz o meu coração entoar os mais belos versos. Sou completamente fascinada por gente, e não abro mão de ser.

Independente do que a vida me traga, quero poder me deliciar dela, quero enchê-la de cor e graça. Quero inspirar amor pra brotar afetos, porque acredito na transparência das palavras embaladas de sentires cristalinos.
E em cada ato, em cada gesto quero pintar infinitas clar(a)idades em e no Universo.

Meire Oliveira

quarta-feira, 7 de novembro de 2012

Pra poder voar






Somos pontos luminosos e carregamos dentro de nós o segredo para apagar qualquer escuridão.
Quando colocamos nosso foco em nossos problemas, dores, tristezas, tudo só tende a aumentar. Mas se invertemos a visão focando na solução, novos caminhos se abrem. O Universo trabalha de mãos dadas conosco e a mãe Natureza nos enche de bênçãos todos os dias, basta pararmos para olhar e respirar seu verde-amor. Recebemos grandes tesouros, que são anjos aqui na Terra que nos ajudam e nos inspiram a trilhar nossa missão nesse mundo, com mais garra e esperança.
Mesmo quando derrapamos nas curvas, temos a oportunidade de crescer. De sacudir a poeira e brilhar mais que as estrelas. 
Dê mais forças aos seus desejos do que aos seus medos. Dê mais asas a suas alegrias do que lágrimas a suas tristezas. Confie mais no que sua alma quer, ela sabe te guiar. Se abrace mais para abraçar com mais amor o mundo. 
O caminho é sempre em frente e a vida não aceita amarras do passado. Onde quiserem jogar espinhos, plante a paz. A energia do amor é poderosa, só ela cura, só ela transforma.
Somos seres de pura luz e puro amor.

Meire Oliveira

Cartas de fora para dentro - carta 2

Quando pequena achava que só se nascia uma vez, mas quando cresci descobri que temos muitas vidas em uma. Que é preciso subtrair o p...