terça-feira, 29 de maio de 2012

Codinome borboleta






Escrevo. Erro a letra. Volto atrás. Sigo em frente. Cambaleio e no meio desse cambalear faço um giro na ponta da caneta que torna o texto mais belo do que seria. Apago tudo e recomeço. Assim são os dias: páginas em branco prontas para receber nossos rabiscos, prontas para receberem nossos eternos recomeços.

Não importa quantas linhas nos restam, mas sim como as preenchemos. Já amassei páginas, coloquei fogo e depois me peguei rindo de tudo o que foi. Porque já foi e nem eu sou mais quem fui. Deixei voar, deixei fluir.


Cada recomeço sabe envolver a vida numa ternura, numa força retomada, talvez até maior que a de antes.

Vibrar amor é deixar nossa vida elavada e plena de luz e harmonia.

É muito bom aprender, mas o mais difícil é desaprender. Difícil, mas não impossível. Carregamos certezas e medos que se deixarmos voar, se não tivermos fé no negativo, mas sim no positivo conseguimos descobrir  a verdadeira borboleta que existe em nós. Assim podemos modelar e remodelar nossas asas como nos agrada e nos faz bem. No nosso ritmo, do nosso jeito.

No jardim da vida somos todos borboletas, umas no casulo e outras que já sabem como voar. Umas têm asas douradas, lindas de se ver e sentir pertinho da gente. Outras têm asas cinzas e tortas, mas se olharmos bem consigos ver o brilho escondido no meio, porque todos temos potêncial pra ser feliz, todos podemos voar se assim quisermos.


Tá se sentindo cinza? Então deixa seu brilho desabrochar, deixa sua essência o mundo encantar.

Mas lembre-se para que a borboleta possa encantar o mundo tem que haver antes o momento do casulo.


Meire Oliveira


terça-feira, 22 de maio de 2012

Espelho, espelho meu





Temos em nós muitos espelhos construídos durante o tempo da nossa caminhada. Alguns deles viramos pra nós e só vemos nosso umbigo, outros é preciso que alguém os vire pra possamos enxergar. Vidros de cristais transparentes trazem esses espelhos. Outros apontamos pra outra pessoa ou pessoas e só enxergamos ela em nossa frente, o tal do espelho torto. Quando inclinado muito pra um lado vemos apenas as qualidades e muito pro outro vemos apenas os defeitos. Muitas vezes enxergamos em determinada alma só o que queremos enxergar, tapamos o resto propositalmente.

Em cada esquina ouvimos uma história diferente, cada história que chega até nós não chega por acaso. Temos que saber ouvir tudo colocando o espelho da nossa vida. Na maioria das vezes colocamos o espelho de outra pessoa que cabe direitinho naquela situação, mas muitas vezes um defeito dela pode ser muito mais nosso do que pensamos.

Saber viver é saber aprender. É querer aprender. A vida tem muito mais a nos ensinar do que achamos, mas temos que tomar cuidado pra não ficarmos apegados eternamente a uma mesma lição. Aprendeu essa, passa pra próxima que a apostila desse curso tem páginas deliciosas se soubermos enxergar cada beleza escondida em cada linha.

É preciso saber ouvir também verdades que podem ser doloridas, mas que curam tanto quanto as ternuras feitas de acúcar que a vida traz.

Atitudes é que mostram o que realmente queremos pra nós, quem realmente somos ou estamos nos tornando. Palavras apenas ecoam ou não dependendo da onde caem. Eu prefiro jogá-las em solos que sei férteis, mas posso errar também, não estou livre disso. A cada erro, mais uma lição, mas se acertei, seguindo minha intuição que dificilmente falha, colho flores de um perfume incomparável. Mas essas flores não guardo só pra mim, deixo-as se espalhar pelo mundo.

No espelho do meu coração que reflete um imenso jardim dentro de mim aprendi que um gesto de confiança carrega muito mais amor do que um elogio jogado pela janela sem transparência alguma. Confiança não requer juras e promessas porque a gente sente a transparência esculpir os sentimentos mais belos em nossos sentires diários.


Meire Oliveira


segunda-feira, 14 de maio de 2012

Lar, doce lar


 


A nossa casa chamada "Lado de dentro" é sempre o lugar mais confortável pra estarmos. Onde escolhemos nossas crenças, as pintamos e despintamos de acordo com o que queremos dar valor.

Viver dentro de nós é a melhor escolha que fazemos na vida. Mas ainda há muita gente vivendo mais fora, pelas ladeiras e ruas da cidade de "O que vão pensar", que é um lugar totalmente desconhecido e obscuro. Essas pessoas vivem aflitas e fazem tudo como se estivessem sendo vigiadas pela mente dos outros constantemente. Uma verdadeira prisão.

A liberdade consiste em fazer o que nos dá prazer, sem nos ligarmos a obrigações e crenças que plantaram em nossa cabeça e nós aceitamos. Tudo o que chega até nós, chega porque temos fé naquilo.

Se entrou uma pessoa que te fez mal, que te usou é porque você não acredita que mereça pessoas melhores, a partir do momento em que acredita e sente o quanto você é especial, se valoriza, automaticamente atrai pessoas e situações condizentes com essa sua FÉ. Começam a chegar até sua vida pessoas com a vibração de acordo com a sua, enquanto outras vão ficando pra trás.

Morar em nosso próprio coração não tem preço. E só conseguimos isso quando nos amamos de verdade, quando nos tornamos melhores pra nós mesmos, quando escolhemos ter FÉ somente no bem.

Viver de acordo com moldes e preocupados com opiniões alheias é aceitar a escravização da nossa alma. Seguir o que realmente queremos e nos faz bem é escolher ter paz, é a verdadeira libertação.



Cobri minha casa com pétalas de rosas, meu lar tem perfume de alegria e afago. E já deixo claro pra que não haja confusão, as cócegas e os doces são por conta da casa e flores brotam de puro encanto só pra quem entra pisando firme com o coração.

Meire Oliveira


terça-feira, 8 de maio de 2012

Muito mais achados do que perdidos





Já me acharam boba, chata e muito mais. Já me chamaram de amiga e depois me soltaram a mão nos momentos mais aterrorizantes. Culpei quem me largou a mão, culpei a mim. De início, esperniei. De meio, me revoltei, mas no fim minha alma foi crescendo e  me (re)encontrei. Me pergunto em que momento da vida eu me perdi, ou se já havia me encontrado antes e nem notei. E a pergunta que fazia antes da ficha cair era: Por que me deixaram aqui sozinha nesse momento? E depois consegui reformular a pergunta que realmente deveria me fazer: Como eu pude me abandonar?

Vi que achismos sempre vão haver, no outro sobre mim e em mim sobre o outro. Mas o importante é que eu não me perca nos achismos do outro, que eu não fantasie cavalos andando nas nuvens onde há só cavalos andando na terra. E talvez seja esse o sobrenome do crescimento: desfantasiar sem perder o encanto pela vida e pelas pessoas. Nesse teste eu passei, me dou nota 10. Sou uma eterna encantada pela vida e por algumas pessoas. Sim, me tornei seletiva.


Vi também que eu não posso me perder nas palavras do outro, porque só eu sei o que sou e sinto. Não sou doce todos os dias, 24 horas por dia. Tenho mau humor, mas brigo rápido com ele e brigas de ponta pés! Tenho momentos em que preciso silenciar tudo, até meus pensamentos. Silêncio também é despertar.


Só eu sei das minhas lutas, das vencidas e das perdidas. Só eu sei me dar colo, só eu sei lavar minha alma em minhas lágrimas quando preciso. Só eu conheço os verdadeiros caminhos que me fazem bem, que me envolvem na paz que tanto aprecio.

Perdi muito com meu jeito de ser, ganhei muito com meu jeito de me respeitar, de saber doar depois que eu soube me-dar. E esse me-dar me mostrou a verdadeira felicidade. 

Não gosto de gente que grita, que revida um tapa com outro tapa, não gosto de gente fanática por si mesmo. Porque amor próprio é essencial, mas exagero nele é arrongância que mostra a falta do mesmo. Irônico? Sim, a vida também sabe brincar com a ironia. E exatamente por não gostar disso ou daquilo, me afasto. Aprendi a deletar o que não me faz bem, o que não combina com a minha alma. Não é exagero, é respeito por mim e também pelo outro. E isso não é frieza, é equilíbrio. Não sei fazer joguinhos, gosto de coisas claras e doces, amargura não me interessa. Sou admiradora de almas recheadas por grandeza, que sabem que respeito é a elegância da alma. E só quem é gente grande por dentro tem. 

Nesse mundo não tem lado, estamos todos do mesmo lado, com o Universo somos um. Vibrar amor faz bem pro próprio coração. Raiva faz um mal danado pro mesmo. Eu escolhi o amor e quando sinto uma pessoa com raiva, me lembro daquela canção dos Beatles "all you need is love" é, meu irmão "love is all you need".

Não brigo mais com meu espírito quando ele pede basta. Tenho limites e os respeito. Aprendi a me respeitar e a me cuidar e me alegrar quando alguma poluição de fora quer me invadir, aprendi que quem gosta de mim de verdade não se coloca abaixo de mim, me pondo num altar, mas enxerga meus defeitos e inclui sinceridade no jardim da amizade.


Me sinto imensamente grata e no lucro. Na caminhada do aprendizado que é a vida perdi coisas e pessoas que achei essenciais  e talvez até fossem pra aquela que fui um dia, mas ganhei muito mais. Ganhei paz, alegria e a certeza de que almas não se cruzam por acaso, mas que almas na mesma vibração se atraem e criam elos bonitos e infinitos.


E dos perdidos, tenho muito mais achados. Achados de paz, de luz que é o que me interessa, pois minha alma gosta mesmo é de leveza, peso não me interessa.


Meire Oliveira


sábado, 5 de maio de 2012

Me divirto sendo





A melhor coisa da vida é a diversão que permeia constantemente nossos dias, basta abrir os olhos e ter o corpo disposto a sorrir. Porque sorriso verdadeiro é esse: dos pés a cabeça.

Tão bom poder escancarar a alma pro sol e sentir toda a sua energia nos envolvendo todas as manhãs, cada raio que chega até nós vibra a plena gratidão do ser.

A vida é pura beleza, guarda em cada pedacinho trechos de surpresas maravilhosas, prontas sempre a chegar até nós, basta que saibamos fazer o que nos agrada, basta que saibamos que a vida não é feita de dramas e reclamações sem fim, mas sim bordada de recomeços que nos deixam mais próximos daquilo que nossa alma aprecia.

Ser feliz não é viver em plena euforia, é sentir calmaria na alma e uma vontade de sorrir sem motivo algum ou por todos os motivos juntos.

O importante é não nos prendermos a nada, nem em nossos próprios erros. É andar de mãos dadas com nossas sombras e nossas claridades ao mesmo tempo, é nos sentirmos livres pra poder voar pra onde nosso coração mandar e ele sempre escolherá o lugar em que se sente aquecido e envolvido pela paz. É preciso ter manha pra saber obedecer o próprio coração.

Visto meu sorriso faceiro, coloco no olhar o brilho mais suave que minha alma inspira. Passo meu batom de cereja e saio pra curtir a arte mais bela que existe: a vida. Ah, "como é bonita"!

Meire Oliveira 



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...