terça-feira, 8 de maio de 2012

Muito mais achados do que perdidos





Já me acharam boba, chata e muito mais. Já me chamaram de amiga e depois me soltaram a mão nos momentos mais aterrorizantes. Culpei quem me largou a mão, culpei a mim. De início, esperniei. De meio, me revoltei, mas no fim minha alma foi crescendo e  me (re)encontrei. Me pergunto em que momento da vida eu me perdi, ou se já havia me encontrado antes e nem notei. E a pergunta que fazia antes da ficha cair era: Por que me deixaram aqui sozinha nesse momento? E depois consegui reformular a pergunta que realmente deveria me fazer: Como eu pude me abandonar?

Vi que achismos sempre vão haver, no outro sobre mim e em mim sobre o outro. Mas o importante é que eu não me perca nos achismos do outro, que eu não fantasie cavalos andando nas nuvens onde há só cavalos andando na terra. E talvez seja esse o sobrenome do crescimento: desfantasiar sem perder o encanto pela vida e pelas pessoas. Nesse teste eu passei, me dou nota 10. Sou uma eterna encantada pela vida e por algumas pessoas. Sim, me tornei seletiva.


Vi também que eu não posso me perder nas palavras do outro, porque só eu sei o que sou e sinto. Não sou doce todos os dias, 24 horas por dia. Tenho mau humor, mas brigo rápido com ele e brigas de ponta pés! Tenho momentos em que preciso silenciar tudo, até meus pensamentos. Silêncio também é despertar.


Só eu sei das minhas lutas, das vencidas e das perdidas. Só eu sei me dar colo, só eu sei lavar minha alma em minhas lágrimas quando preciso. Só eu conheço os verdadeiros caminhos que me fazem bem, que me envolvem na paz que tanto aprecio.

Perdi muito com meu jeito de ser, ganhei muito com meu jeito de me respeitar, de saber doar depois que eu soube me-dar. E esse me-dar me mostrou a verdadeira felicidade. 

Não gosto de gente que grita, que revida um tapa com outro tapa, não gosto de gente fanática por si mesmo. Porque amor próprio é essencial, mas exagero nele é arrongância que mostra a falta do mesmo. Irônico? Sim, a vida também sabe brincar com a ironia. E exatamente por não gostar disso ou daquilo, me afasto. Aprendi a deletar o que não me faz bem, o que não combina com a minha alma. Não é exagero, é respeito por mim e também pelo outro. E isso não é frieza, é equilíbrio. Não sei fazer joguinhos, gosto de coisas claras e doces, amargura não me interessa. Sou admiradora de almas recheadas por grandeza, que sabem que respeito é a elegância da alma. E só quem é gente grande por dentro tem. 

Nesse mundo não tem lado, estamos todos do mesmo lado, com o Universo somos um. Vibrar amor faz bem pro próprio coração. Raiva faz um mal danado pro mesmo. Eu escolhi o amor e quando sinto uma pessoa com raiva, me lembro daquela canção dos Beatles "all you need is love" é, meu irmão "love is all you need".

Não brigo mais com meu espírito quando ele pede basta. Tenho limites e os respeito. Aprendi a me respeitar e a me cuidar e me alegrar quando alguma poluição de fora quer me invadir, aprendi que quem gosta de mim de verdade não se coloca abaixo de mim, me pondo num altar, mas enxerga meus defeitos e inclui sinceridade no jardim da amizade.


Me sinto imensamente grata e no lucro. Na caminhada do aprendizado que é a vida perdi coisas e pessoas que achei essenciais  e talvez até fossem pra aquela que fui um dia, mas ganhei muito mais. Ganhei paz, alegria e a certeza de que almas não se cruzam por acaso, mas que almas na mesma vibração se atraem e criam elos bonitos e infinitos.


E dos perdidos, tenho muito mais achados. Achados de paz, de luz que é o que me interessa, pois minha alma gosta mesmo é de leveza, peso não me interessa.


Meire Oliveira


19 comentários:

  1. Duas palavras com A maiúsculo: Arrepiou!Amadurecimento!

    ResponderExcluir
  2. Que maravilha,Meire... Tantos nos acharam, tantos achamos, tantos nos largaram, tantos largamos...
    o que importa é estar certa do que foi e o que ficou e que esse é o melhor que podíamos ter feito. beijos,chica

    ResponderExcluir
  3. Ahh menina flor, e como você cresceu, amadureceu e tem se tornado mais e mais consciente de tudo que te cerca.
    Estamos sempre juntas e essa troca só nos acrescenta mais e mais, uma cumplicidade prazerosa, onde impera o respeito, a franqueza e acima de tudo o amor.
    Com certeza achamos mais do que perdemos e nesses "achares" grandes jóias vão compondo nosso baú, que cada vez mais fica recheado de grandes tesouros.
    Beijos no coração!

    ResponderExcluir
  4. Na grandeza de teus achados, vc se encontrou inteira, pesou os tropeços, reconheceu as perdas, mas o importante mesmo, foi ter se encontrado plena, convicta e madura para realidade sem perder a fantasia;o encanto de viver.
    Teu tocante manifesto trouxe todas as certezas que todos queremos ter.
    Vc é sabedora da jóia que és!
    Bjos, menina iluminada.
    Calu

    ResponderExcluir
  5. Nunca se perder em si mesmo. Este deve ser o lema das mulheres 'grandes'... Vamos dominar o mundo dominando primeiro a nós mesmas...

    Bjs meus

    Catita

    ResponderExcluir
  6. Menina linda, é assim mesmo que tem que ser.
    Amo teu jeito de escrever, sempre.
    Beijos cheios de carinho.
    Te amo!

    ResponderExcluir
  7. oi linda minha,

    o melhor da vida é acompanhar e perceber
    o nosso crescimento,
    nos tornamos seres humanos gigantes quando usamos o amor a nosso favor e você sabe usa-lo com maestria,sabedoria,
    serenidade e de uma maneira única...

    beijinhos
    cheios de admiração

    ResponderExcluir
  8. Oi Meirinha!
    Um desabafo, um depoimento, não sei bem, mas seu eu falou mais alto, com lucidez e amadurecimento.Quando se aprende com a vida lendo-a com o coração se cresce assim. Acho-a doce mesmo assim, pois mesmo na hora de brigar usa as armas mais fortes, as da razão, da ponderação e do coração que vai fundo onde as outras nunca chegam.
    A vida é assim, idas e vindas, que nos fazem crescer se tivermos a sensibilidade de perceber além das aparências.
    Beijinhos menina!

    ResponderExcluir
  9. Meire,que grande texto,menina!Para refletir e ver que o mais importante é não perder o foco do que a gente realmente é, sem ligar para a opinião alheia,que geralmente nos pinta de cores que não temos!...rsss..bjs e meu carinho!Obrigada por sua entrevista tb!

    ResponderExcluir
  10. Nem sempre aquilo que nos incomoda em um primeiro momento e nos faz reagir de forma negativa, mesmo que só pra dentro de nós, é um impasse. crescer faz parte disso tudo.
    Eu também penso um pouco como você relata aqui no texto: sem joguinhos, tudo o mais claro possível, por mais que seja doloroso ou difícil. A vida não é fácil, ninguém disse que o seria, porém, há que se buscar fazê-la melhor e isso depende de nós.
    Respeitar a si mesmo é o primeiro passo. Me identifiquei muito com o texto! São tantas de nós nesse teu texto, nesse meio... Muitas sem opção, outras com plena capacidade de gritar em meio às tormentas da vida.
    Parabéns!

    ResponderExcluir
  11. Fascinante minha querida...adorei ver o tamanho da sua alma!
    Não preciso falar muito, você sabe bem que o meu pensamento é sintonia pura com o seu.
    Fico feliz demais por você ser quem é, anjinha, beijos
    Valéria

    ResponderExcluir
  12. Oi Meirinha!
    Voltei para te dizer que amanhã, dia 11 vai ter um convite para voc~e no meu novo post. Espero que goste, mas digo de antemão que sinta-se a vontade, viu.rsss
    Beijinhos!

    ResponderExcluir
  13. Querida Meire!

    Identifiquei-me muito em seu texto.
    Aprende-se tantas coisas. O outro, nós mesmos e o que nos cerca... é um caminho que deixa marcas. Há as boas... e as menos felizes. Encontrar-se, aceitar quem somos dentro de um espaço que está constantemente em mudança, é fundamental. E nem sempre fácil.

    O texto, além de lindo é de uma profundeza sem tamanho. Lhe admiro, linda Meire! Sou sua fã!

    Beijo no coração

    ResponderExcluir
  14. "
    Nesse mundo não tem lado, estamos todos do mesmo lado, com o Universo somos um. ""

    O que dizer Meiroquinha??

    Linda mensagem do teu texto!!

    Um beijinho anjinha!!

    ResponderExcluir
  15. Oi, Meire. Saudades! Lindo seu texto fadinha. Ma disse tudo! Estamos todos do mesmo lado. Bjokitas doces e todo carinho pra ti! Linda semana. Ti adoro menina!!!!

    ResponderExcluir
  16. Tão bom quando aprendemos a nos respeitar, a não se importar com o que os outros acham...uma aprendizado nada fácil,mas que liberta!Temos a felicidade de ser quem somos,com toda a verdade que nossa essência pede.Ganhamos, os outros também ganham.Aqueles que também são assim, ficam.
    Uma vez,uma pessoa que admiro muito me disse:"Conforme caminhamos, a vida nos aproxima ou nos afasta de algumas pessoas.Porque o aprendizado nunca para, e aprendemos uns com os outros,assim cada pessoa chega a nós, para aprender ou para ensinar e depois se vai.Algumas ficam para sempre.Mas aí, é encontro de afinidades, almas irmãs".
    É verdade.
    Beijos,amiga!!!

    ResponderExcluir
  17. Perfeito, Meire!!!
    Bem que eu estava com saudades disso tudo!
    Suas palavras são tão belas...
    Ai, me dá até dó de ir embora!
    Dá vontade de ficar de olhos fixos vendo esses afagos, se não fossem as obrigações diárias! rsrsrs
    Beijinhos pra você minha querida.
    Que Deus continue te abençoando!

    ResponderExcluir
  18. Meire

    Que lindo. Não podemos nunca nos abandonar.
    Todos os seus textos me convidam a reler.

    Uma boa quinta feira parsa você.

    Bjs

    ResponderExcluir

Experienciar para poder conectar

É preciso sentir, é preciso pulsar. É preciso viver, experienciar. A vida implora a necessidade do mergulho em cada processo. Por...