segunda-feira, 18 de julho de 2011

Limpe seu banco



Ao caminhar pela pracinha, encontro flores, algumas com espinho e outras ingenuamente sem.  Tropeço em alguns galhos espalhados pelo chão. E logo adiante avisto um banco. Todos temos um em nós. Ele pode ser  limpo e bonito ou sujo . Passeando pela cabeça nos deparamos com a consciência, qual é a sua? O banco limpo onde poderá se sentar levemente e escutar os pássaros cantando ou o banco sujo onde não conseguirá se sentir bem, onde o incômodo te fará companhia? Ou você irá ignorar o banco sujo e se sentar na grama verde evitando encará-lo? Quando fazemos algo errado é no banco sujo que ficamos, por isso temos que analisar tudo o que fazemos e se temos que pedir perdão, tarefa que não é fácil, devemos seguir com uma flor na mão e esperança no coração. Mas o mais importante quando estamos ali sentados é nos perdoar, pois somos o que mais nos culpamos por algo, nós é que nos ferimos aos poucos nos alimentando da amarga culpa. Só nós temos a receita certa para limpar nosso banco. O pano está em nossas mãos. Cada um tem o banco que cultivou.

Do meu banco fiz um lindo balanço para poder brincar, para poder voar, para poder sentir a doce brisa me levar.



®Meire


Bob Dylan - Blowing In The Wind


28 comentários:

  1. É impressionante; que nós,pessoas do bem,guardamos culpas, muitas vezes sem necessidade... E outras, que cometem erros imperdoáveis; não o sentem e jamais pedem desculpas.
    Seu texto é ótimo! Parabéns!Tenha uma ótima semana!
    Beijocas!

    ResponderExcluir
  2. Oieeeeee, Meirita!!!!
    Que lindo texto!!! É sempre importante cuidarmos do nosso "banco", tanto para nós mesmos, como para quem queira nos fazer companhia, sentados no mesmo banco, que seja o nosso ou o dele, mas que esteja sempre clean!! Em sentido menos figurado, chamaria nosso "banco" de consciencia, e esta sempre nos avisa quando algo está mal, quando é hora de limpar nao somente o banco, como tb, a casa inteira...!
    Perfeita analogia!!!!!
    Bom comecinho de semana, amiga!!!
    Beijo grande, grandao!!!!!

    ResponderExcluir
  3. Meire querida. Que bom se todos fizessem de seus bancos algo bonito para suas vidas!!! Beijos.

    ResponderExcluir
  4. Nossa consciência é uma voz permanente dentro da gente!
    Ela te acusa, ela te absolve, ela te condena...
    Acho que o meu banco ñ está muito sujo... Graças à Deus!Rsrsrs..
    Linda postagem, Meire!´É sempre muito bom vir aqui!

    Obrigada por partilhar.. E por sua visita e carinho em meu blog.

    Bjs em seu coração e uma semana abençoada,

    Tânia

    ResponderExcluir
  5. Meire querida,
    Nossa consciência , para o nosso bem estar, deve estar sempre bem cuidada.
    Qualquer mácula que lá esteja será motivo de tormento e sofrimento.
    Não vale a pena cultivar tais sentimentos e o ato de perdoar-se deve ser sempre praticado, se estamos fazendo o melhor.
    Vamos passar flanela nesse banco, cuidando para que não fique qualquer vestígio de pó.
    Beijo, minha linda.

    ResponderExcluir
  6. Todos nos temos um banco limpo e sujo,o lado mau e o bom,o cisne branco e o cisne negro.Basta vc escolher o que vai querer,e se corajosa o suficiente para encarar td o que fizer seja de bom ou ruim.Pq infelizmente,minha querida,nem tudo que é bom pra vc é para os outros.Podemos ser mau interpretados com nossas "boas" ações e escolhas.
    Boa semana,bjka

    ResponderExcluir
  7. Olá,Meire!!

    Que analogia interessante...bem original!!
    Ainda bem que estou sempre cuidando do meu banco, para que ele esteja sempre limpo, não é fácil...mas sempre compensa!
    beijos pra ti!
    Bom início de semana!!

    ResponderExcluir
  8. Consciência limpa faz bem ao coração..acho q até aumenta a expectativa de vida..rsrs Adorei o texto Meire!! Boa semana =)

    ResponderExcluir
  9. Nada melhor do que mantermos nosso banco, e nossa consciência sempre limpa!!!

    Boa semana para você querida...beijão!!!!

    ResponderExcluir
  10. Meire, como sempre, sem querer ser repetitiva, seus textos são geniais, suas comparações são perfeitas, seu jeito de expressar as ideias, de forma clara, singela, suave e delicada nos convidam a leitura.
    Quanto a consciência, procuro manter meu banco sempre limpo, livre de culpas e minha consciência tranquila, afinal procuro fazer sempre aquilo que julgo ser correto, independente da opinião alheia.
    Bj. gd.

    ResponderExcluir
  11. Com certeza Meire.. devemos sempre fazer essa análise e reavaliarmos nossas ações e postura diante da vida e dos acontecimentos.

    Beijo grande em seu coração..
    Verinha

    ResponderExcluir
  12. "Cada um tem o banco que cultivou."

    precisa dizer mais?????

    e ainda fechou com Bob Dylan - Blowing In The Wind....demais...sabia?

    acertou em cheio com esse post....

    é preciso que as pessoas reflitam...que todos nós façamos uma reflexão....

    meu carinho pessoa querida....sempre....

    Zil

    ResponderExcluir
  13. Oi Meire,
    Vc está absolutamente certa.
    Se cada um de nós cuidar do seu coração, fazer a limpeza diária, e deixar fluir só coisas boas.
    Bem que tento limpar meu banco todos os dias. Belo texto.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  14. a nossa inteligência emocional cada dia mais cuidada, esta são as diferenças pra algumas mudanças comportamental. teu texto nos mostra que a consciência quando praticada a coletividade segue, em breve vamos poder sentar nos bancos limpos das nossas praças, e ouvir os pássaros do mundo cantar.
    belo texto querida.
    passando tbem pra deixar beijos, carinhos e uma semana super delicia pra ti

    ResponderExcluir
  15. Ai que lindo!
    Fechei os olhos e me imaginei em uma pracinha linda e ensolarada, com pássaros e borboletas, muitas árvores e flores, uma brisa doce e suave e pessoas amadas e queridas curtindo todos os benefícios da pracinha! Até meu cachorrinho e meu papagaio estavam lindos comigo! Adoro seus textos e os lugares lindos que eles me levam,

    UM BEIJOOO!!!

    ResponderExcluir
  16. Viver em paz com a consciência é a única maneira de conhecer a paz

    Beijos, Meire!

    ResponderExcluir
  17. Eu guardo culpa e sou culpada, e meu banco hoje está sujo de c.... de pomba. No fundo, eu queria ser a própria pomba e voar...Mesmo que fosse um voo curto...

    ResponderExcluir
  18. Bancos que carecem de limpeza constante... adorei sua colocação sobre o tema!

    Minha Flor Lilas...

    bjssss muitosss meussss


    Catita

    ResponderExcluir
  19. Belíssimo texto. Tão verdadeiro. Adorei mesmo! Beijos, querida. Au revoir.

    ResponderExcluir
  20. oiee....Tem selinho pra vc no meu blog
    bjus Doce Menina S2

    ResponderExcluir
  21. Boa noite minha bonequinha de porcelana!
    Estava com saudades,muitas saudades...vc passou lá no meu cantinho,e como sempre deixou as palavras mais lindas e encantadoras...da qual desejaria que tudo aquilo que dizes de mim fosse verdadeiro,eu seria uma verdadeira felizarda,mas mesmo assim fico pensando que sou,rsrsrs
    Continuo limpando meu banco para ver sempre limpo e poder ver quem senta do meu lado tambem não saia sujo...
    Deixo prá ti um beijo de boa noite!

    ResponderExcluir
  22. Cada um tem o banco que cultivou!

    Meire, se eu pudesse pedir algo a DEUS, eu pediria pra poder me sentar sempre ao seu lado nesse banco da vida.

    Aceita?

    Te amooooooooooooo minha amiga!

    ResponderExcluir
  23. Meiroca, minha Pirilimpimpim de crital
    Mais uma analogia perfeita com as nossas vidas. E mais uma sintonia comigo. A minha paixão é fotografias de bancos. Geralmente, quando o banco está sem ninguém, lembro-me imediatamente do meu pai Madeira, pois ele tb gostava muito de ler os jornais do dia num banco embaixo de seu prédio.
    E nas fotos de viagens, SEMPRE o Enzio tira foros minhas em bancos, de praças, de jardins, das ruas, em dias ensolarados, frios ou outonais...
    E com esse texto vc me deixou pensativa em saber pq esses bancos representam tanto pra mim!!! Acho que quero deixá-los sempre limpos para que qdo alguém sentar pertinho de mim, eu possa dividir somente as coisas boas, sem culpas, com tranquilidade e sempre com muito amor para compartilhar.
    Você, Meiroca linda, já tem um lugarzinho cativo no banco da minha vida, emoldurado com flores, com folhas lindas espalhadas pelo chão, embaixo de árvores frondosas e se puder, a gente encaixa um poste antigo, com luz fraquinha, mas que com certeza irá iluminar nossas almas. Bonequinha de cerâmica, vc é muito importante pra mim, viu??? Bjkitas em seu coração. Te amo!!!

    ResponderExcluir
  24. Meiroca Pirilim
    Sempre me esqueço, mas hoje voltei pra comentar a música. Amo Bob Dylan e essa música é clássica dele. Já pensou bancos de jardins, com coisas boas soprando ao vento? You are a magic girl!
    Bjs. cristalizados!

    ResponderExcluir
  25. Melhor limpar o banco com desculpas e pedidos de perdão, se for o caso. A limpeza, por fora, visível... e aquela por dentro, que só nós conhecemos, é fundamental.

    Bjs. (penso que me distraí, porque não tinha visto este post)

    ResponderExcluir
  26. Linda essa colocação!
    E a música...peeerfeita ;)

    ResponderExcluir
  27. Saber perdoar a si e aos outros é o primeiro passo para se ter um banco da cosciência limpo... o outro é ser coração aberto e fazer tudo na vida com amor e com afeto, pois onde o amor entra, a maldade saí sempre envergonhada.... beijos menina de luz.

    ResponderExcluir
  28. Meire cm é bom ler o que escreves!Pena que só nos intervalos da vida.Sabe tb tento construir meu banco da praça assim,qro chegar no final d vida corpórea ,poder respirar e dizer:
    - Graças a Deus cumpri minha etapa ,agora vou para outra ,olhar para aquele banco que deixei e sentir saudades sim mas de cabela erguida,com o coração transbordando de amor,amigos deixar e levar ,levar seus saberes,seus sorrisos,suas palavras.Lindona continue sua caminhada e sei que seu banquinho tb está lindo,flores ao redor,árvores sábias,verdes,crianças sorrindo como anjos enchendo de alegria e festa!Abraço acalentador para ti1

    ResponderExcluir

Cartas de fora para dentro - carta 1

Já errei, briguei. Fui embora, mas voltei. Disse adeus, fui despedida, fui início. Fui temor e coragem. Já me pisei, me embalei, me enam...