quinta-feira, 5 de maio de 2011

Em degradé


Algumas preciosidades morrem baixinho, em dégradé. Como morrem as tardes. Como morrem as flores. Como morrem as ondas. Quando a gente percebe, já é noite e o céu, se está disposto a falar, diz estrelas. Quando a gente percebe, as pétalas já descansam o seu sorriso no colo do chão. Quando a gente percebe, o canto da onda já enterneceu a areia. Muitas dádivas que nos encontram, que nos encantam, têm seu tempo de viço, sua hora de recado, e seu momento de transformação em outro jeito de lindeza.

A noite também é bela do jeito dela. As pétalas caídas viram húmus para fertilizar o solo que dirá a vez de outras flores sorrirem. A areia molhada conta a canção da onda e da sua acolhida terna para a nossa vida descalça. Lutar contra a impermanência da cara das coisas é feito tentar prender o azul macio das tardes, segurar o viço risonho das flores, amordaçar as ondas. É inútil.

Costumamos esquecer que não podemos impedir a mudança: tudo dança a coreografia sábia e implacável da impermanência. Mas a música daquilo que verdadeiramente nos toca com amor, não importa o quanto tudo mude - e tudo muda -, não deixa nunca mais de tocar e viver, de algum jeito, no nosso coração.

Ana Jácomo

6 comentários:

  1. Que lindo seu blog!

    Que lindas as suas visões!

    Obrigada por seguir-me e ler-me, Meire

    Beijos!

    ResponderExcluir
  2. Olá minha nova amiga. O ArcadoAutoConhecimento foi indicado para concorrer ao SELO BLOG DA SEMANA, em votação que se iniciou no dia 05/05 e ficará aberta até o dia 11/05/2011 no BLOG DO SUPER WILL. Se você quiser me presentear com seu voto, deve acessar o blog do Super Will, no endereço http://wwwwillblog.blogspot.com/. O Will é o idealizador do selo, tendo por objetivo homenagear e promover a confraternização blogueira através da troca de links, divulgação e experiências. Desde já, agradeço a gentileza e amizade.

    ResponderExcluir
  3. a lingua inglesa tem um nome otimo para isso "fade".

    ResponderExcluir
  4. Que delicioso texto!... Poesia que germina em cada silaba!

    Beijos,
    AL

    ResponderExcluir
  5. Meire,
    Ai, que coisa mais linda esse poema da Ana Jácomo!
    Obrigada pelas palavras hiper carinhosas que vc tem deixado lá nos meus cantinhos. Sua meiguice, seu blog lindo, suas escolhas, seu bom gosto, sua gentileza, já me cativaram há muito tempo. Um domingo cheio de muito sol e uma semana cheia de alegrias!
    Bjkas com muito carinho!

    ResponderExcluir
  6. Meire,
    Não me contive e chorei e voltei. Eis o motivo:
    "Lena, não sei se tu és mãe, mas nos acolhe em teu blog como tal, portanto hj é seu dia... obrigada pelos lindos textos, que Deus mantenha seu caminho cheio de luz...bjo grande :)"
    Garota, fiquei hiper emocionada, muuuuuuuuuuuito obrigada.
    Em tempo: tenho dois filhos lindos, Fernando e Juliana. Em algum momento postarei as fotos deles no Amadeirado!
    Bjkas mil!!!

    ResponderExcluir

Cartas de fora para dentro - carta 2

Quando pequena achava que só se nascia uma vez, mas quando cresci descobri que temos muitas vidas em uma. Que é preciso subtrair o p...