sexta-feira, 19 de fevereiro de 2010

Library Lover

                     A minha paixão por biblioteca é bem clara. Nela tem a essência básica da minha vida; livros. Para uma devoradora de livros uma biblioteca é a própria alma num determinado local. Em minha vida tive muitas almas; a primeira delas na escola. A segunda no centro da minha cidade e agora tenho uma nova alma, limpinha, branquinha que fica na  minha faculdade. Cada alma, tem um significado em minha vida, e nelas rememoro cada pedacinho de mim.
                     Biblioteca. A simples palavra me fascina, me encanta. Minhas muitas almas já me proporcionaram fascínios diversos, J.K. Rowling na época do ensino fundamental, Pedro Bandeira, Aghata Christie. Cecília Meirelles com suas poesias que estranhamente me encantam desde a segunda série; eu só tinha uns oito para nove anos. E como esquecer da época que enquanto meus colegas de classe faziam treinamento de volei à tarde na escola, eu era voluntária para arrumar a biblioteca. Passava horas olhando para as estantes achando que sempre tinha que ajeitar mais um pouco. E ficava impecável. Eu esquecia do resto do mundo ali. Ainda me esqueço até hoje. É mágico. Passar os dedos um a um pelos livros, passar os olhos por cada um dos livros, amazing!
                    That's it, I'm a library lover!

quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

Altru ou Ego ísmo?

                      O círculo da vida é incompreensível. As pessoas então nem se fala. Se eu quiser sair gritando na rua, não irão me entender. Não irão entender que saudade dói, todos me rotularam de louca. O ser humano, àqueles que são seres humanos, porque há àqueles que nem podemos chamar HUMANOS, pois não merecem este título, até tenta compreender seu próximo. Uns com mais esforço e outros com menos. A solução de colocar no lugar do outro nem sempre é solução. Pois cada ser humano (ou não) carrega dentro de si uma capacidade e sua própria experiência de vida que pode ajudar ou atrapalhar nessa tarefa de puro altruísmo. Tarefa essa, que só pode ser cumprida com louvor se a pessoa no caso tiver boa vontade e até uma carga de vida "legal". Do contrário o significado, se tiver, dessa tentativa pode não ser lá grandes coisas. E talvez seja mais difícil entender o próximo quando não entende sequer a si mesmo. O auto conhecimento é fundamental para manter boas relações e quizá até uma vida saudável.
                      O amor é essencial nesse caso de colocar-se no lugar do outro. Pois quando se ama, você quer entender, mesmo que não consiga, você tenta da melhor maneira possível, de várias até.
                      E fica então uma frase da Clarice que relata bem isso tudo: 


"Porque eu fazia do amor um cálculo matemático errado: pensava que, somando as compreensões, eu amava. Não sabia que, somando as incompreensões é que se ama verdadeiramente. Porque eu, só por ter tido carinho, pensei que amar é fácil."

Eu te convido a sentir

Hoje eu vim te convidar para fechar mais os olhos. E quando digo fechar mais os olhos é para internalizar mais, para sentir mais. E dar...